quarta-feira, 5 de julho de 2017

II Sialat 2017 - SEMINÁRIO INTERNACIONAL AMÉRICA LATINA : POLÍTICAS E CONFLITOS CONTEMPORÂNEOS


  
II Sialat abre chamada para envio de resumos.
A segunda edição do Seminário Internacional America Latina: Políticas e Conflitos Contemporâneos - Sialat 2017 tem como tema "Colonialidade, Poder e Territórios" e ocorrerá de 27 a 30 de novembro, em Belém, no Núcleo de Altos Estudos Amazônicos, da UFPA. O objetivo do encontro é ampliar o debate das Ciências Humanas no Brasil em temas relevantes para o entendimento da América Latina, para isso, a organização do evento torna público a chamada de resumos de trabalhos. O Sialat 2017 contará com 13 Grupos de Trabalhos e quatro grandes mesas-redondas. Informações sobre submissão de resumos aqui

ENVIO DE RESUMOS  - ATÉ O DIA 30/07

Confira dos GTs´do II Sialat:
GT 01 - Estado, políticas e novas configurações do mercado na América Latina.
Ementa: O Grupo de Trabalho Estado e suas políticas tem como objetivo reunir trabalhos de caráter teórico ou empírico que estejam relacionados a perspectiva de desenvolvimento e da ação do Estado através de suas políticas e como estas impactam a vida social e atendem ou não a questões da desigualdade social. O GT contempla várias abordagens, de estudos de caso de políticas específicas às análises comparativas entre políticas e períodos históricos, nas diferentes esferas do governo. Contempla ainda as análises sobre as tensões e os conflitos na relação Estado e sociedade, atores, dinâmicas, participação e poder local, controle social e limites da democracia no Brasil e em outros países da América Latina.
GT 02 - Movimentos sociais e lutas sócio-territoriais: olhares sobre a África e a América Latina.
Ementa: Este GT propõe-se a debater trabalhos sobre realidades e categorias analíticas que discorram sobre instrumentais teórico-metodológicos nos estudos sobre atores locais e como organizam suas redes de atuação políticas, reatualizando as lutas sociais.  Nesse contexto o GT contempla estudos sobre diferentes formas de organização social e em que contextos os atores locais desenvolvem lutas sócio-territoriais, urbanas, rurais e étnicas na defesa de direitos, a exemplo de povos indígenas, grupos quilombolas, comunidades tradicionais sob os impactos de projetos de desenvolvimento.
GT 03 - Colonialidade e grandes obras de infra-estrutura: hidrelétricas, portos, hidrovias, rodovias e ferrovias.
Ementa: Este GT se propõe discutir concepções predominantes na Pan-Amazônia, com extensão para demais países da América Latina, no que tange ao planejamento, implantação e operacionalização de grandes projetos hidrelétricos e de mineração. Interessa reunir trabalhos que revelem questões e conflitos sociais que problematizem os políticos, ambientais e mesmo econômicos relacionados às grandes obras, mobilidade do trabalho, do capital, conflitos entre esferas de poder, violência institucional e social, precarização de direitos e da cidadania.
GT 04 - Natureza, sociedade e direitos: políticas e conflitos na América Latina e na Pan-Amazônia. 
Ementa: O GT procura atrair trabalhos que tenham sido feitos com a intenção de entender de maneira crítica a profusão de discursos sobre meio ambiente e sobre sustentabilidade, entre outros conceitos que têm sido produzidos e incorporados ao debate sobre meio ambiente e seus impactos, e a relação entre sociedade, economia e natureza. A ideia é entender, em uma perspectiva interdisciplinar, a relação entre os agentes do campo ambiental, e revelar os sentidos que têm orientado estas relações sociais, os conflitos, as ideias evolucionistas presentes e como as relações coloniais perpassam os discursos de sustentabilidade intra e inter regiões e localidades. São bem vindos trabalhos sobre conflitos socioambientais (água, mineração, energia, mudanças climáticas, mercado de carbono etc) e trabalhos sobre políticas ambientais, estratégias de controle social e gestão de territórios.
GT 05 - Mineração, desastres e neoextrativismos na América Latina.

Ementa: O GT visa debater a mineração na América Latina e o seu papel no mundo atual, principalmente na produção de desigualdades, riscos, violências e expropriações na realidade contemporânea. Além disso, o GT visa discutir os limites da política de mineração e contribuir com movimentos sociais, de forma a questionar e negar as bases dessa política desenvolvimentista e extrativista insustentável e socialmente injusta. 
GT 06 – A Mídia, produção de imagens e estratégias de discursos em disputa.
Ementa: Este GT tem o propósito de debater trabalhos que tragam uma contribuição de pesquisa sobre a mídia e a construção de imagens, informações e confrontos no sentido de desvelar processos e discursos sobre as relações entre comunicação e política, comunicação e meio ambiente. O GT acolhe trabalhos com base em pesquisas empíricas, teóricas e reflexões que tenham como objetivos entender a dimensão discursiva e simbólica da mídia na relação com a política, de que forma esses discursos transitam e sua relação com a construção da democracia na Pan-Amazônia e na América Latina.
GT 07 – Cidades e transformações do urbano na América Latina.
Ementa: O campo da vida urbana tem sido um dos temas centrais nas análises das ciências sociais abrigando várias abordagens pela sociologia, antropologia, ciência política, geografia e pelo campo do urbanismo, permitindo conhecer a diversidade da cultura urbana como mostram os estudos realizados nos diferentes países da América Latina, com abordagens quantitativas e/ou qualitativas. Pretende-se com este GT discutir trabalhos resultantes de pesquisa teórica ou empíricas sobre a vida urbana, considerando categorias chave como tempo, espaço, identidade, singularidade, diferença, cotidiano, cultura, economia urbana e global, política e planejamento urbano e regional. O GT contempla ainda trabalhos que abordem as manifestações políticas nas cidades, ou em seu entorno mas a elas articuladas, visando fomentar o debate crítico sobre o urbano e limites  e potencialidades da ação política e da democracia.
GT 08 – Migração, mobilidade e deslocamentos: exclusão social, diferenças culturais e ação política.
Ementa: Este GT procura criar discutir processos recentes de mobilidade de população – desde as migrações regionais e nacionais até as migrações internacionais que têm sido retornadas recentemente como tema relevante no entendimento da relação entre política e deslocamentos. Tema que envolve, de forma central, a relação entre Estados nacionais e a sociedade civil, relação entre história, legislações e lutas territoriais no plano inter regiões, tornando os conflitos atuais como questões internacionais.
GT 09 – Pensamento social e imaginário na América Latina.
Ementa: Este GT pretende reunir trabalhos que busquem entender dimensões do pensamento social brasileiro e latino-americano voltado a grandes temas contemporâneos. Busca colocar em debate categorias, teorizações e interpretações sobre a sociedade e como esses elementos interferem no entendimento da realidade social. O GT pretende formular uma agenda de pesquisa sobre o tema, visando compreender as complexas e crescentes tensões entre movimentos sociais e Estado observada desde manifestações de ruas a mobilizações mais organizadas em diversos países latino-americanos nas últimas décadas.Entre eles são bem vindos estudos críticos sobre narrativas históricas e a produção de sentido sobre desenvolvimento na América Latina; interpretações sobre novos processos de ocupação dos territórios,  conflitos, tensões geopolíticas, processos de integração na América Latina e Caribe; colonialismos,  imperialismos e processos de desestabilização; povos originários, etnias e neocolonialismo: as lutas dos movimentos sociais, plurinacionalismo e refundação do Estado.
GT 10 – Campesinato e conflitos fundiários na América Latina.
Ementa: Nas últimas décadas governos nacionais, juntamente com grandes empresas, ampliaram seu campo de atuação com a instalação de projetos de desenvolvimento regional observando-se a produção de conflitos na medida em que eles avançam sobre os territórios de povos de povos tradicionais (indígenas, quilombolas, pequenos produtores familiares, ribeirinhos, pescadores, etc), verificando-se impactos significativos sobre as cidades e os territórios urbanos.  Interessa ao GT analisar as novas formas de mobilização e de produção de processos coletivos de enfrentamento visando garantir seus projetos de vida coerentes com suas próprias demandas.
GT 11 – Gênero, colonialidade e teorias feministas na América Latina.
Ementa: O GT visa discutir a perspectiva crítica da colonialidade do poder como chave analítica para a América Latina, e tem como linhas de investigação o questionamento do pensamento eurocêntrico e as opções cognitivas contra racionalidade moderna, que abrem a possibilidade de construir novas áreas de investigação. Nesse quadro, o GT visa destacar as descolonialidades feministas na América Latina, que envolvem uma reavaliação dos conhecimentos e outras possibilidades de resistência, bem como propõem uma mudança nas discussões sobre as teorias do gênero, descentralizando o olhar sobre os feminismos eurocentrados que não dão conta de análises que relacionam gênero e raça, identidades de gênero e identidades culturais.
GT 12 - Cultura, mercados, tradições e turismo na América Latina.
Ementa: O GT acolhe trabalhos que tratem das dimensões da problematização da cultura e sua relação com a política e o mercado. Artigos sobre cultura e mercados populares e sobre processos de aprofundamento das políticas e estratégias de turismo voltadas para este cenário. Serão bem vindas reflexões que tratem da colonialidade de saberes, das tradições e da cultura, e que valorizem a sociobiodiversidade da América Latina, seus povos e sua memória social.
GT 13 - Trabalho, mercado de trabalho e desemprego: novas regulações, novas formas de dominação? 
Ementa: O GT se propõe a fazer um balanço do tema trabalho no contexto das novas agendas econômicas na América Latina, em especial, de precarização do trabalho e perda de direitos, bem como o crescimento do desemprego e a mutação do mercado de trabalho. Há interesse em problematizar o tema na perspectiva das ciências sociais numa visão crítica e interdisciplinar, no sentido de estudar as formas de apropriação, dominação e subjetivação envolvidos no debate.